Azul e Negro



Ver é delírio.
Como dizê-lo?

O azul é noite
o azul é morte.
Como sabê-lo?

O azul é negro
no seu cabelo.

Ver é delírio.
Bastasse vê-lo
o azul é negro
ardendo aceso
no seu carvão.

Ver
pode ser
azulcinação.

Poema de Ferreira Gullar e pintura de Siron Franco
publicado por ardotempo às 14:04 | Comentar | Adicionar