Pintura de FRANCISCO BRENNAND

Francisco Brennand

Todos sabem o quão pouco o Brasil cuida da relevância em exaltar aqueles que de fato contribuem com seu esforço e o seu talento, e até com renúncias quase religiosas, para construir a obra de uma vida inteira como a do pintor e escultor Francisco Brennand. Foi-se o tempo em que se dava a merecida importância aos museus e às instituições culturais dedicadas a preservar a memória da história passada e recente do Brasil. Cada vez mais a chamada grande mídia, ocupada com os graves problemas que afligem o país, põe no limbo os feitos culturais e artísticos que celebram os aspectos originais de nossa cultura e que se tornam cada vez mais significantes diante da grande contribuição de artistas e de homens que fizeram ou se fazem importantes na consolidação da identidade nacional.

De sua personalidade e de sua obra muito já se escreveu, e também de seu ateliê na Várzea do Recife, um grande espaço no qual sistematicamente ele guarda tudo o que foi por ele produzido, mais ainda a monumental instalação nas ruínas da antiga fábrica da família: milhares de esculturas, painéis, murais, jardins como o de Burle Marx, numa atmosfera única em meio à vegetação luxuriante da Mata Atlântica.

Com isso Brennand faz um grande e generoso gesto para a preservação da mata original e ainda oferece aos seus visitantes a  mais nova obra da arquitetura brasileira, a capela projetada por Paulo Mendes da Rocha sobre as ruínas da antiga casa-grande da fazenda.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Mata – Óleo sobre tela, 1971

Uma pintura marcadamente figurativa, acentuada por um grafismo como um halo em torno da figura; uma linha contínua sinuosa, um arabesco barroco e sensual, elegante como fundo da representação do tema.

Emanoel  Araújo
Diretor do Museu AFRO Brasil

 

© Museu AFRO Brasil


 

tags: ,
publicado por ardotempo às 14:07 | Comentar | Adicionar