O que não se negocia

O tempo, o bem inegociável

 

Devemos viver minuto a minuto, com a intensidade possível, o tempo que nos cabe e resta.

Defender com avidez essa riqueza incalculável e sem qualquer reposição possível.

O tempo perdido o é para a morte.

Devemos nos defender com ferocidade de quem nos expropria o tempo ou dele faz pouco caso.

Todo o tempo de cada um vale a mesma coisa, porque o tempo é o sinônimo absoluto da vida.

O tempo paralisado é a ausência, o vazio, o nada sem o conceito do zero.

Para o cadáver dentro do caixão, ao qual falta o frescor da chama, choca-nos o que não vemos, nele o tempo está estanque.

Os minutos ou horas de sono, que são necessárias, devem ter a paz e a luz dos sonhos

para que neles estejam não o tema nem as lembranças ou as cores e sim a sugestão da

dinâmica do tempo - inclusão e passagem.

publicado por ardotempo às 09:58 | Adicionar