Ilusão adamantina

 

 

Imperativo


Pedro Gonzaga

 

 

Se puderes pedir uma coisa

a Júpiter

pede uma ilusão adamantina

não a verdade.

Somente filósofos e tolos,

inquisidores

e síndicos

estão atrás da verdade.

 

Se puderes fechar os olhos para o real

fecha agora.

Não te preocupes,

antes,

aproveita.

Hão de acordar-te os credores

a dor no ciático

o fingimento da mulher

que nunca se entrega

e que julgas siderar

com tuas carícias de manual,

enquanto ela organiza no teto

uma lista de afazeres vitais.

 

Percebes?

Somente em sonhos

podes ser quem imaginas

apenas em tua memória

seletiva

tuas ações recebem

a devida camada

de nobre pátina.

Por isso, nega as fotos

foge dos amigos

sentimentais

e nostálgicos

evita as reuniões de

dez

de quinze

de vinte anos

da formatura do colégio.

 

Investiga menos,

questiona menos,

de que te serve

a dúvida e

o relativismo

vetusto

dos pós-modernos?

Não há fatos,

só versões, dizem.

Ora, deixa que guardem para si

tais patacoadas,

elas não podem te salvar.


Se puderes pedir uma coisa

a Júpiter

pede uma ilusão adamantina

não a verdade.

Porque somente filósofos e tolos,

inquisidores

e síndicos

estão atrás da verdade.

 

 

 

 

 

Pedro Gonzaga - Escritor e poeta

tags: ,
publicado por ardotempo às 15:27 | Adicionar