Tempo

 

"A vida é feita de encontros e desencontros. Nisso está a sorte. O tempo é o único deus que está presente, que é real e tangível, comum a todos. Por seu capricho, a sorte de cada um será individualizada. É um deus interferente, maníaco, capaz de nos fornecer algumas alegrias e a incontornável tristeza. A ele todos temos que nos submeter e aceitar seus desfechos sem razão, sua desordem sem justiça, sua ironia sem contemplação. É ele que determina, brincalhão e mau, a sintonia entre alguns e a ansiedade, precoce e tardia, de quase todos. Ele se fará, independente e rebelde a arbítrios individuais e libertos, mais largo ou bem mais curto, apenas para que saibamos que, em sua essência sagrada, ele é igualmente finito."

publicado por ardotempo às 12:35 | Comentar | Adicionar