Você usaria...?

VIVE LE PARFUM, LE PARFUM EST MORT

São perfumes de uma nova tendência, uma espécie de viés transversal do marketing tradicional, num apelo que corre livre, desfraldando um volume significativo de sensacionalismo mesclado a uma certa dose de transgressão, sem no entanto abandonar os parâmetros mercadológicos da indústria, da distribuição, da publicidade, da mídia e do comércio.
 
Afinal, existe uma griffe, uma loja, um ponto comercial bastante caro, bem localizado no epicentro do Marais, em Paris (nas proximidades do Musée Picasso), os profissionais especialistas da elaboração das fragrâncias, uma programação visual de gosto estético duvidoso pelo seu apelo assumidamente pornográfico…

O apelo é libertário. Os perfumistas da marca lançaram até um manifesto de desafio aos condicionamentos do mercado.
Os perfumes propõem aromas de sangue, de suor, de sexo, de sêmem…

Existem várias opções de fragrâncias pesquisadas e desenvolvidas, segundo seus criadores. Os frascos são bem simplificados e os nomes impressos nos rótulos apresentam-se provocativos: “Putain des Palaces”. “Sécrétions Magnifiques”, "Éloge du Traitre"… Já à venda em Paris. Você usaria?

Entre na loja virtual, leia o manifesto, veja as alternativas e as descrições das fragrâncias e, quem sabe, escolha o seu perfume.
publicado por ardotempo às 22:25 | Comentar | Adicionar