Cavalo

Coleção


                          


C
om o pensamento ordenado pelo bom-senso, dentro da economia em que viviam e o olhar voltado para as necessidades imediatas, para o núcleo familiar e para a sua comunidade, os imigrantes desenharam os seus artefatos, os objetos, as ferramentas, os utensílios, os brinquedos para suas crianças e os enfeites e adornos para as suas festas
(cerimônias religiosas, casamentos, etc.).

Esse comportamento foi fruto da necessidade, de uma emergência para sobreviver, conseguir trabalhar, construir uma cultura local, integrar-se e constituir núcleos comunitários vivos e atuantes onde fosse possível produzir alguma coisa, gerar proteção e riqueza, estabelecer vínculos e resgatar as tradições de sua memória.

Os objetos desenhados e executados (em madeira, ferro, ligas de metais, cerâmica e porcelana) são os vestígios e os documentos materiais de uma saga onde os protagonistas anônimos modificaram a trajetória de seus destinos e nos legaram a beleza de suas pequenas peças, singelas potencializadoras de esforços coletivos, em que não está ausente a força de suas individualidades criativas.


Brinquedo artesanal - Madeira maciça (procedência: imigração alemã) - circa 1920
© Coleção Azevedo Moura - Desenho Anônimo
tags: ,
publicado por ardotempo às 15:31 | Adicionar