(Falso) Brilhante

Michael Jackson, leitor (?)
 
E se a estrela pop esquisitinha, que mudou a cor da pele e o nariz, que usava máscaras contra os germes e se fechava numa mansão tipo Disneylandia, também fosse – esquisitice das esquisitices – um devorador de livros? Pelos vistos, além dos fãs, há vários livreiros de Los Angeles que lamentam o desaparecimento de um bom cliente, que adorava a secção de poesia e era capaz de discutir as obras de Freud e Jung. Surpresa das surpresas, além da parafernália kitsch, o rancho Neverland também tinha uma biblioteca, e não das pequenas (segundo o LA Weekly, «Jackson’s collection totaled 10,000 books»).
 
Publicado no blog Bibliotecário de Babel
publicado por ardotempo às 12:30 | Comentar | Adicionar