Mariana Ianelli - Um poema

 

 

És o senhor de um continente livre

Onde os teus amores não pretendem nada

Porque a miragem da carne não existe mais.

Na tua postura delgada e muda

Uma essência ora se ilumina,

Ora te faz prosseguir ao acaso,

Mas o temor do exílio já não ecoa dentro em ti

Sua velha litania desesperançada.

Pouquíssimos conseguiriam contemplar

Os mistérios que a tua religião emana

Sem te julgarem um homem enfeitiçado.

Tu sabes facilmente de onde extrair o que te falta.

Enquanto te achas perdido, ao invés,

Estás muito bem guardado em tua alma.

 

 

Mariana Ianelli

 

© Mariana Ianelli - Passagens, 2003, ed. Iluminuras

publicado por ardotempo às 21:34 | Adicionar