Seios

 
 
 
 
"os seios, outrora (na ideia desse ingénuo ancião que os formou, que fabricou o mundo, e de quem uma inimizade secular me veda de pronunciar o nome), eram destinados à nutrição augusta da humanidade; sossegue porém, teodoro; hoje nenhuma mamã racional os expõe a essa função deterioradora e severa; servem só para resplandecer, aninhados em rendas, ao gás das soirées, – e para outros usos secretos."
 
Eça de Queirós 
 
Publicado no blog Contos Exemplares
tags:
publicado por ardotempo às 16:40 | Comentar | Adicionar