China cria impasse no leilão Saint-Laurent

Chinês que arrematou as peças no leilão diz que vai dar calote
 
Comprador defende que peças sejam devolvidas à China.  Um chinês que arrematou as duas estatuetas de bronze chinesas no leilão da coleção particular do estilista francês Yves Saint Laurent em Paris disse que não pretende pagar pelas peças pois elas seriam patrimônio cultural chinês e portanto, de propriedade do governo chinês.
 
 
As peças, uma cabeça de coelho e uma cabeça de rato, foram leiloadas na semana passada por 15,7 milhões de euros (cerca de R$ 47 milhões) pela Christie's.
 
As estatuetas do século 18 estavam no centro de uma polêmica envolvendo a Christie's, os donos da coleção e o governo chinês, que vinha pedindo a restituição das peças, saqueadas do Palácio de Verão, em Pequim, em 1860, por soldados britânicos e franceses.
 
O comprador, o chinês Cai Ming Chao, é consultor do Fundo Nacional de Tesouros da China, um orgão engajado na repatriação de tesouros saqueados do país.
 
Ele disse que sua decisão de arrematar as peças foi um "ato patriótico cultural".
"Acredito que qualquer chinês tomaria uma atitude em um momento como esse", disse ele em uma entrevista coletiva. "Mas quero deixar claro que não tenho dinheiro para pagar por isso", disse ele.
 
A China tentou impedir a venda das peças e ameaçou retaliar a Christie's.
 
Publicado no blog BBC Brasil
publicado por ardotempo às 11:40 | Comentar | Adicionar