A montanha de Cézanne

A montanha Sainte-Victoire

 

 

A montanha mítica de Aix-en-Provence, foi o tema de várias pinturas de Paul Cézanne e de outras telas, desenhos e gravuras de Pablo Picasso. Cézanne pintou-a exaustivamente e através das suas pinceladas em progresso, construiu uma estética modernista, destruiu e reconstruiu as bases de uma pintura original e paradigmática. Picasso, que compreendera tudo ao ver a pintura de Cézanne, chamou-o de "o pai de todos", reconhecendo-lhe a importância fundamental e singular. Dali, daquele ponto de partida chegou ele próprio, à desconstrução e reconstrução estética que seria o cubismo, desenvolvido em esgrima ágil, em diálogo de pinturas geniais, com Georges Braque.

 

A montanha e o castelo negro acompanharam Picasso em sua jornada. A tela e o desejo. Certa feita, telefonou ao seu marchand Kahnweiler e comunicou-lhe que comprara a montanha Sainte-Victoire. O marchand perguntou-lhe qual delas, pensando nas telas de Cézanne, que sabia, Picasso tanto admirava. Picasso, preparado, respondeu agudo: "A própria." Comprara o castelo, a paisagem e a vista da montanha. Foi morar sob a guarda e à sombra da montanha.

 

Hoje, seu fantasma continua por lá, flutuando no vale da Provence, ao largo da paisagem querida de Sante-Victoire, uma vez que foi enterrado ali mesmo, sob a relva do jardim de seu castelo ateliê, que mantém sempre uma luz acesa numa das janelas durante toda a noite. "O artista está trabalhando..."

 

 

tags:
publicado por ardotempo às 22:19 | Comentar | Adicionar