O Museu do Sul



Dentro de algumas poucas semanas será inaugurado um esplêndido museu ao sul do mundo, especificamente em Porto Alegre RS, no estado meridional do Brasil.
A Fundação Iberê Camargo abrirá suas portas, com um projeto arquitetônico soberbo (assinado pelo celebrado arquiteto português  Álvaro Siza Vieira), uma  extraordinária qualificação museológica, um acervo denso (a obra expressionista do pintor Iberê Camargo) e a promessa de uma programação de mostras temporárias de alto nível, em obras e artistas contemporâneos e modernos.
Será, provavelmente, o melhor e mais bem equipado museu do Brasil, uma vez que foi pensado para ser dessa maneira e quem o pensou assim, sabia bem como fazê-lo, por experiência anterior acumulada. Vem para instrumentalizar museologicamente a cidade que é a sede da Bienal do Mercosul, no momento a mais organizada e fecunda mostra de arte bienal da América Latina.
O novo espaço museológico da Fundação Iberê Camargo está destinado a ser o mais importante museu de arte contemporânea de Porto Alegre (e do sul do País), não apenas pela sua beleza arquitetônica, pelo seu tamanho, pelos espaços expositivos ou pela excelência de seu acervo; isso tudo conta favoravelmente, porém soma-se a outros aspectos de presença e performance, que irão diferenciá-lo frente aos consumidores culturais.
A beleza arquitetônica simboliza a ampliação nacional e internacional de uma percepção acerca da existência de um movimento cultural-artístico sistemático, sério e profundo na América Latina.
O tamanho do Museu está regido pelo fato específico de ser um projeto dedicado, ou seja, pensado para ser um museu desde sua origem, por um arquiteto especializado no tema, e não uma adaptação ou uma reforma de um edificio histórico, anteriormente projetado para outras funções, como costuma ser o legado de grande parte de nossas casas de cultura.
Seus espaços expositivos foram idealizados e concebidos para a qualidade de sua utilização.
A excelência do acervo está lastreada na presença das obras significativas, de várias fases e na integralidade da obra gráfica de um dos melhores e mais influentes artistas brasileiros.
A Fundação Iberê Camargo vem se notabilizando também por outras atuações originais e sistemáticas. Daí decorre o aumento exponencial de sua importância no cenário artístico nacional. E também a expectativa acerca da futura programação de mostras temporárias.

Fundação Iberê Camargo - Foto de Mário Castello, 2008
publicado por ardotempo às 21:12 | Adicionar