Saint-Exupéry foi abatido por um de seus leitores


Depois de um longo tempo de busca, ele foi finalmente encontrado. Foi ele quem matou Saint-Exupéry.  Ele não se escondia mas não tinha nenhum orgulho do que fizera. Tanto que o fizera propositadamente. É ele mesmo quem hoje diz: “Se eu soubesse quem era, não teria atirado. Jamais contra ele”.

A confissão é de Horst Rippert, 24 anos em 1944, piloto da Luftwaffe, grupo de caça Jgr.200. No dia 31 de julho, os radares do aérodromo de Milles localizaram um avião inimigo sobrevoando Annecy e ele recebeu a ordem de decolar. Alcançou o Lightning logo depois de Marselha. Sessenta e quatro anos mais tarde, interrogado por Luc Vanrell, Horst Rippert confessa:

Mergulhei na sua direção e disparei, não sobre a fuselagem e sim sobre as asas. Eu o atingi. O caça  ficou danificado e caiu. Direto para a água. Ele se espatifou no mar. Ninguém saltou. O piloto… jamais o vi. Fiquei sabendo alguns dias depois que era Saint-Exupéry. Eu esperava e desejei sempre que não tivesse sido ele. Em nossa juventude, todos nós o tínhamos lido e adorávamos os seus textos. Ele sabia admiravelmente descrever o céu, os pensamentos e os sentimentos dos pilotos de aviação. Sua obra despertou a vocação para muitos de nós. Eu amava o escritor.












  Saint-Exupéry
  Pierre Assouline – La Republique des Livres
  Foto de J.P. Ziolo – Bibliotheque Nationale, Paris
publicado por ardotempo às 13:27 | Adicionar