Carpinejar explicou o Canalha! no Sarau Elétrico

"– Desejo passar o resto da minha vida com você."

"– Não, uma vida com você nunca será resto."

 

Carpinejar falou a noite inteira procurando demonstrar que o conceito "canalha" traz algumas nuances virtuosas e simpáticas ao revés do crápula e do cafajeste, que seriam, estes sim, os adjetivos realmente comprometedores e patológicos. Afirmou que os homens apreciam ser chamados de "canalhas" (sem a concordância da platéia masculina presente, em especial com a discordância veemente e sempre irônica do Prof. Cláudio Moreno) e que todas as mulheres tem uma queda em vertigem pelos canalhas (também com a pronta discordância da platéia feminina presente, em expressiva maioria no Sarau e representada no palco por Cláudia Tajes e Katia Suman)

 

Foi divertido, com muitas risadas de todos mas Carpinejar não convenceu ninguém com sua tese mirabolante. O Sarau Elétrico estava lotado, teve apresentação de rock RS e o autor assinou muitos autógrafos de seu novo livro durante a longa noitada de leituras (textos de Carpinejar, Machado de Assis, Rubem Fonseca e da Grécia dos deuses). Como sempre o Sarau contou também com a presença de Luís Augusto Fischer.

 

 

 

publicado por ardotempo às 19:31 | Comentar | Adicionar