Gravura em metal

Relevo

 

 

Maria Inês Rodrigues, artista plástica das mais importantes do Brasil contemporâneo, não se revela apenas com magnitude na pintura, onde a emoção pensativa das cores se funde à imaginação do abismo, criando seres de perene infância.

 
A gravurista e a escultora são ainda mais alentadoras,  onde o bizarro se mescla ao fantástico, como se um Goya esculpisse na gravura ou no metal, desfiando um outro tempo, o das feéricas imagens.
 
E reativa em sua arte, incrível liberdade inventiva, deixando os olhos perturbados diante de um certo toque do desconhecido. O que assusta, entretanto, já acordou o eito de estar no mundo. Em sua última fase, Relevos e Gravuras em Metal  explodem como que advindas de pesadelo. 
 
E com maestria generosa e original, nova, exsurgem  as criaturas de sementes, ou a sementeira de mitos. O que dizer, senão o maravilhamento? E numa estirpe de metamorfoses, a linguagem retorna à caverna dos símbolos primevos, e à mágica dos símbolos que, face a face, nos vêem.
 
E amam toda a penúria e grandeza  da humana condição. 
 
Carlos Nejar 
 
Relevo - Maria Inês Rodrigues - Gravura em metal, 2006
tags: ,
publicado por ardotempo às 13:24 | Comentar | Adicionar