É momento de ler ou reler Não Verás País Nenhum



Nessa hora grave em que tudo aparenta estar em precário equilíbrio,
em que Estados formais negociam secretamente com organizações terroristas,
num tempo em que uma floresta primordial e insubstituível está sendo devastada sob a omissão e o acobertamento do governo que devia protegê-la constitucionalmente, em que sacolas plásticas, sub-produto do consumo irrefreado, sufocam os depósitos de lixo do dia-a-dia urbano de qualquer cidade, em que os oceanos se tornam sujos e hostis à vida marinha, em que os condomínios se encarceram em cerrada vigilância de milícias particulares de segurança, que proliferam os uniformes sombrios das seguranças e escoltas armadas privadas, que as quadrilhas operam e administram tecnologicamente fortunas depositadas em bancos (mesmo de dentro das celas das prisões), em que o petróleo e a água tornam-se escassos, é o momento de se reler com vagar e reflexão o livro de Ignácio de Loyola Brandão… 

NÃO VERÁS PAÍS NENHUM
© Ignácio de Loyola Brandão
Romance, 25ª Reedição 2007 / 416 páginas
Editora: Global Editora
ISBN 978-85-260-1176-2
 
Fotografia do autor por Lisette Guerra
publicado por ardotempo às 17:43 | Adicionar